O Retorno do Jovem Príncipe, A.G Roemmers

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

 
Sinopse Oficial: O livro O Retorno do Jovem Príncipe é uma obra de ficção que fala da visita de um célebre príncipe à Terra em sua adolescência. Com visão humanista e espiritual sobre o mundo, seus habitantes e os valores básicos que os sustentam, o poeta argentino A. G. Roemmers faz um tributo sutil ao personagem que há décadas encanta gerações.
    Quem aí adora O Pequeno Príncipe? Particularmente, acho uma das obras mais geniais e filosóficas já lançadas. E a recomendação de hoje para o fim de semana vai falar de uma espécie de continuação da história do menino que se apaixonou por uma rosa.

   Vamos falar um pouquinho da capa. Com referências a obra de Antoine de Saint-Exupéry, os traços são aquarelados, delicados e coloridos, mas fica na cara que a proposta desse livro é diferente: nada de uma história que você consiga ler para uma criança, diferentemente de O Pequeno Príncipe, que tem profundidades diferentes de acordo com quem o recebe. 

   A primeira vista, O Retorno do Jovem Príncipe pode passar a ideia de um livro de autoajuda daqueles bem forçados ou, na melhor das hipóteses, algum parente distante de uma obra de Augusto Cury. A realidade é que o livro se mostra muito mais leve e envolvente do que parece. Não sei vocês, mas aquelas histórias com lições clichês e personagens previsíveis não me dão nada além de sono - e uma leve irritação.


      O que acontece é que A. G Roemmers consegue com que o leitor reflita sem perceber sobre os assuntos que aborda. A narrativa é bem delicada, mas sem rodeios: a história flui sem agarrar e convence logo nos primeiros capítulos.

   Na obra de Roemmers, o Pequeno Príncipe não é mais tão pequeno, mas um adolescente que contesta e impõe muitas questões existenciais, morais e de pensamento. O autor faz referências muito discretas ao primeiro livro, o que permite com que você leia O Retorno do Jovem Príncipe sem complicações mesmo se não lembrar ou não tiver lido o aclamado clássico.

   A editora (Fontanar) fez um trabalho simples e delicado. O livro foi impresso em fonte bem grande para os padrões comuns, o enquadramento é bem feito e várias páginas possuem citações isoladas com algumas estrelas e outras ilustrações monocromáticas:

   O Retorno do Jovem Príncipe tem 103 páginas e um ritmo ideal, nem apressado e nem lento em demasia. Perfeito para esse fim de ano em que colocamos em cheque nossos valores e os valores dos que estão em nossas vidas. Contudo, ele também é excelente para aquele momento em que você quer uma leitura que não pese, mas que também não faça você sentir com o intelecto desafiado.

   Nos vemos na segunda. Beijos


0 comentários:

Postar um comentário

 
© Olhei no rodapé - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
imagem-logo