O Poder dos Quietos, Susan Cain

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

Sinopse oficial: De modo inspirador, a autora nos apresenta histórias de introvertidos de sucesso e oferece inestimáveis conselhos sobre como os tímidos podem tirar vantagem das suas características. Em 'O poder dos quietos', Susan Cain contempla também as crianças introvertidas, em capítulo especial com dicas para pais e professores. Um livro extraordinário, que tem o poder de mudar para sempre a maneira como os tímidos e introvertidos se veem e, talvez mais importante, como as outras pessoas os veem.
   Todo mundo que gosta de ler tem um (ou de vez em quando até vários) livros que mexem com a essência. Mudam seus pensamentos e são capazes de transformar opiniões já consolidadas. Alguns livros têm o poder de induzir reflexões tão poderosas que surtem efeito para o resto da vida; pode parecer exagero apenas para quem ainda não teve essa experiência. Pois, para mim, tudo isso aconteceu quando li O Poder dos Quietos, da Susan Cain pela editora Agir.

   A primeira coisa a ser dita é que não se trata de um livro de auto ajuda. Tomei ciência disso assim que li as primeiras páginas, onde Susan faz questão de explicar muito bem a diferença entre introvertidos e tímidos. Durante muito tempo pensei que as duas coisas eram sinônimos e que eu tinha as duas características, o que se provou errado. Com cuidado mas sem deixar de ser enfática, a pesquisadora prova que as pessoas que curtem ficar sozinhas não são um mal para a sociedade mas que sim, ainda são tratadas como tal.

   Milhares de pessoas crescem ouvindo de seus parentes e amigos que deveria ser mais extrovertidas. A pessoa que vos escreve já foi diagnosticada (de forma errônea) como autista quando criança, por pura falta de conhecimento do profissional que a avaliou. Por que isso acontece? Bom, há um supervalorização da comunicação interpessoal na cultura mundial. O que muitas vezes é esquecido é que pessoas introvertidas são peças cruciais no desenvolvimento da humanidade como um todo: Bill Gates, Gandhi e Barack Obama são só alguns exemplos de pessoas incríveis e que preferem um filminho no Netflix a uma balada, por exemplo. Onde eu aprendi isso? Bom, a essa altura vocês já devem ter um bom palpite.

   Se eu pudesse conhecer Susan Cain, lhe agradeceria imensamente por trabalhar minha auto-estima e auto-aceitação de uma forma que nenhum livro jamais fez. Não são apresentados só argumentos psicológicos e sociais, mas científicos também. E o mais incrível é que tudo isso é encaixado de uma forma leve, sem parecer que estamos falando de respostas cerebrais e hormônios. Quer um exemplo? Pessoas extrovertidas ficam comprovadamente mais estressadas em ambientes silenciosos, enquanto os introvertidos sentem os efeitos da liberação de cortisol (o hormônio do estresse) em lugares povoados e agitados. É claro que em O Poder dos Quietos estes e muitos outros estudos são dissecados de forma compreensível e perfeitamente válida.

"O segredo da vida é colocar a si mesmo sob a luz certa. Para alguns são os holofotes da Broadway; para outros, uma escrivaninha iluminada."

   Susan palestrou no TED Talks sobre como teve uma infância dolorosa e decidiu dedicar-se a provar as pessoas reservadas que elas não estão erradas. O Poder dos Quietos traz exemplos pessoais da moça e outros casos reais, mas somente como pilar para dados ainda mais relevantes - como estudos governamentais ou outros experimentos incontestáveis.

   O fato é que os extrovertidos precisam ler para conhecer um pouco mais do universo de pessoas que simplesmente não se sentem bem socializando o tempo inteiro, e os introvertidos precisam ler para se amarem, se aceitarem e perceberem que são tipos diferentes (e não errados) de pessoas. O Poder dos Quietos é uma leitura gostosa, revolucionária e obrigatória pra todo mundo!


0 comentários:

Postar um comentário

 
© Olhei no rodapé - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
imagem-logo