Como escrever melhor

segunda-feira, 25 de julho de 2016


   O gosto por leitura muitas vezes vem acompanhado de uma enorme paixão por escrever. Mas e aí, como mandar bem? Ou ainda: como escrever direitinho sendo que você não gosta (ou anda sem tempo) de ler? Aproveitando a data de hoje (Dia do Escritor!), apesar de não ser profissional, reuni algumas dicas que um dia me ajudaram muito e continuam ajudando. Vai que elas te ajudam também? Confere aí:

- Se você precisa escrever uma redação ou um artigo, por exemplo, trace um esqueleto pra ele.

   Já aconteceu de você ter que escrever alguma coisa e não saber nem por onde começar? Muitas vezes a ideia do que dizer no texto está quase perfeita na sua cabeça, mas você simplesmente não sabe como transferi-la para o papel. Isso é mais comum do que parece e acontece muito em redações, artigos ou até posts em redes sociais (sim, os famosos textões de Facebook).
   Um truque que ajuda bastante e é usado inclusive por profissionais é traçar um plano. Pegue um pedaço de papel e liste os tópicos que você quer discutir, na ordem em que eles devem aparecer. Para textos informais, você pode começar chamando a atenção do seu leitor para o assunto ou personagem. Para artigos acadêmicos, você precisa iniciar explicando de onde surgiu o assunto que você estudou. Por exemplo: vamos supor que você queira escrever a história da Chapéuzinho Vermelho. O começo do esboço pode ficar parecido com isso:

1) Apresentar a personagem
   1.a Explicar que é uma criança
   1.b Dizer que vai levar doces para a avó doente
2) Contar sobre a floresta
   2.a Dizer que um Lobo habita o bosque
   2.b Contar que ele sabe que Chapéuzinho irá por determinado caminho. 

   Deu pra entender? É claro que você não precisa enumerar tudo tão detalhadamente ou até mesmo escrever apenas palavras que te lembrem o que fazer, e não frases completas. Adapte-se ao que for mais conveniente para você, mas trace uma estrutura principal do seu texto: um esqueleto. Dessa forma, você saberá exatamente quando e onde escrever cada parte da sua ideia.

- Evite usar palavras iguais em uma mesma frase
   É muito chato quando um texto não é um texto rico em vocabulário, o texto pode nem ter palavras complicadas mas o texto precisa ter uma variedade. Viu só que frase esquisita? Ela ficou assim porque eu usei várias vezes a expressão "o texto" para me referir a alguma coisa, e isso torna a leitura confusa, maçante e muito desconfortável. Olha só uma comparação:

a. Eu gosto de ler, gosto de assistir séries e também gosto de ir ao cinema.
b. Eu gosto de ler, assistir séries e ir ao cinema.

   Viu só como a primeira frase parece mais desleixada, infantil e atrapalhada? Quando você precisar usar o mesmo adjetivo em uma frase, procure por sinônimos. Hoje em dia há dicionários online especializados nisso e você os encontra facilmente em sites de busca, enriquecendo seu vocabulário e tornando seu texto muito mais interessante e bem construído.

- Cuidado com a pontuação!
   Tá aí um ponto que muita, muita gente esquece. Até em blogs famosos dá pra notas erros grosseiros de pontuação. E o que isso muda no texto? Tudo! 
   Estudamos pontuação bem no início de nossa vida acadêmica, e por isso muitas vezes julgamos o assunto como fácil ou dispensável; não é. Um texto bem pontuado é mais gostoso de ler, mais assertivo e muito menos amador. Dá uma olhada na diferença que uma pontuação pode fazer:

a. Eu gosto de comer, gente!
b. Eu gosto de comer gente!

   De um comilão pra um canibal tem uma diferença bem grande, não acha? Você não precisa ser um professor de português, mas procure saber o básico e levar em consideração a próxima dica, que também ajuda bastante nesse ponto.

- Não dá pra fugir: leia!
   Não tem jeito: quanto mais você ler, melhor vai ficar sua escrita: fato! Leitura faz com que seu cérebro simplesmente reconheça quando você escreve alguma coisa muito estranha. Sabe aquele "clique" de saber que algo está errado? Muitas vezes você nem sabe o que é exatamente, mas sabe consertar. Esse "clique" vem da leitura, do costume de ler frases revisadas e editadas. Você se torna mais observador com sua escrita sem se dar conta.

- Não tente copiar o estilo de um autor
   Muitos e muitos autores têm um estilo todo próprio de escrita. Alguns livros têm uma diagramação errada de propósito, ou uma linguagem específica para um personagem.
   Cuidado com o instinto de querer copiar um autor que você gosta muito. Muitas vezes, o estilo daquele livro ou escritor não tem nada a ver com o que você está buscando ou precisando, e seu texto vai sair completamente errado e incompreensível por besteira! Escreva do seu jeito. A prática vai te ajudar, pode ter certeza.

   Falando em escrever... Essa é a última semana pra participar do Sorteio aqui do blog, hein? Não percam! Um grande beijo e até o próximo post.


0 comentários:

Postar um comentário

 
© Olhei no rodapé - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
imagem-logo