O Cão que Guarda as Estrelas, Takashi Murakami

sexta-feira, 29 de julho de 2016


Sinopse oficial: A história é bastante emotiva, pois conta uma aventura vivida por dois companheiros: um simples senhor, sem dinheiro, empego ou família, e seu cachorro. Os dois farão o possível para viver e sobreviver a sua "viagem" pelo interior do Japão. O grande diferencial da narrativa fica por conta do ponto de vista: Os acontecimentos são narrados sempre pelo olhar do cachorro, e a perspectiva canina dos fatos e seus sentimentos são os companheiros do leitor ao longo das páginas.

   No post sobre o Festival do Japão, comentei que havia encontrado por lá um livro que estava buscando há muito tempo, lembram? Pois hoje eu o recomendo pra vocês e converso um pouco sobre Hoshi Mamoru Inu, aqui no Brasil vendido como O Cão que Guarda as Estrelas. Essa imagem fofa aí de cima, com um lindo cachorrinho em meio à Girassóis, nada mais é do que a capa do livro. Mas não se engane: não espere uma história doce, meiga, levinha e superficial. Hoshi Mamoru Inu é um dos livros mais emocionantes e cativantes que li esse ano. A expressão que dá título ao livro significa algo inalcançável, como um cachorro que contempla as estrelas sem aceitar que não pode alcançá-las.

   A história conta a trajetória de Happy, um cãozinho da raça Akiko. Aparentemente, os japoneses adoram histórias com esses cãezinhos... Quem lembra do Hachiko, aquele do filme com o Richard Gere? Ele tem até uma estátua no Japão em sua homenagem. Pois bem: é com essa mesma premissa sobre amizade que começa O Cão que Guarda As Estrelas, uma história linda e emocionante sobre a lealdade dos animais.


   Happy começa vivendo em uma família feliz e completa, até que ele precisa enfrentar - juntamente com o Papai - uma viagem pelo interior do Japão. Sem dinheiro, sem família e sem amigos, os dois se tornam aliados muito fortes. Logo nas primeiras páginas, você já é surpreendido com o clima fúnebre da história, mas não consegue abandoná-la.

   Todo o livro é em formato mangá. Confesso que nunca tinha me apegado tanto a uma história escrita nesse estilo, mas os traços são super leves e os diálogos breves. Terminei a leitura em vinte minutos.

   Apesar de curta, a história é muito mais que comovente: O Cão que Guarda As Estrelas fala de amor genuíno, de lealdade e da crueldade humana. Fala sobre como não sabemos a história das pessoas e mesmo assim as julgamos, sobre o quanto somos hostis com animais e como jogamos foras preciosos momentos que poderíamos gastar com quem amamos. Só de escrever a resenha já tô quase chorando de novo. Sim, eu chorei! E não foi pouco. Micão no transporte público, pra variar

   Hoshi Mamoru Inu tem adaptação cinematográfica de 2011, mas ainda não consegui encontrar o filme para assistir. O que sei é que é um livro extremamente delicado, marcante e tocante. Vale pro fim de semana e pra vida!



0 comentários:

Postar um comentário

 
© Olhei no rodapé - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
imagem-logo