Depois de Você, Jojo Moyes

quarta-feira, 3 de agosto de 2016


Sinopse (editada para evitar spoilers para quem não leu Como Eu Era Antes de Você): Lou está morando em um flat em Londres, trabalhando como garçonete em um pub no aeroporto. Certo dia, após beber muito, ela cai do terraço. O terrível acidente a obriga voltar apara a casa de sua família, mas também a permite conhecer Sam Fielding, um paramédico cujo trabalho é lidar com a vida e a morte, a única pessoa capaz de compreendê-la. Ao se recuperar, Lou sabe que precisa dar uma guinada na própria história e acaba entrando para um grupo terapêutico. Os membros compartilham sabedoria, risadas, frustações e biscoitos horrorosos, além de incentivarem a investir em Sam. Tudo parece começar a se encaixar quando alguém do passado de Will surge e atrapalha os planos de Lou, levando-a a um futuro totalmente diferente.

   Como vocês sabem, Como Eu Era Antes de Você foi um livro que mexeu muito comigo (tem resenha dele aqui!). Uma história autêntica, plausível, sem aqueles clichês e melações manjadas que eu tanto abomino nos romances contemporâneos. Contudo, ele termina de forma muito aberta: é o tipo de livro em que você quer saber o que aconteceu depois, mas ao mesmo tempo tem medo de que sua continuação acabe com a magia da história que já caminhou até ali. Passei um bom tempo colocando na cabeça que, se não gostasse do seu sucessor Depois de Você, não poderia deixar isso afetar o meu amor pelo primeiro livro. E comecei.

   Li muitos comentários dizendo que Depois de Você é arrastado. Discordo. Especialmente no começo, gostei do ritmo do livro. Ele é melancólico, desanimado... Mas afinal, não era pra ser assim? A dor muda muito as pessoas e Louisa está mudada nessa história: muito mais inconsequente, ranzinza e - devo dizer - parecida com as mocinhas frustradas e desesperadas dos demais romances açucarados que enchem prateleiras. Eis que acontece o primeiro grande acontecimento: o surgimento da tal pessoa do passado de Will. Posso falar? Acho que Jojo recebeu tanta pressão para escrever uma continuação para Me Before You que não fez isso de forma espontânea. Não parece que a mesma pessoa escreveu as duas histórias, e vou explicar o por quê achei isso.

   A tal pessoa é muito, mas muito chata. Vocês vão me desculpar, mas nem mesmo os traumas, os problemas e os acessos de fofura e semelhança com Will Traynor me fizeram engolir a criatura. Achei uma pessoa petulante, mimada, irritante. Não rolou! Não desceu, sabe?

   O tal Sam relatado na sinopse é um cara muito bacana? É, sim. Mas... Totalmente utópico. Sabe aquele personagem lindíssimo (aliás, Louisa faz questão de falar das características físicas dele o tempo todo. Em alguns parágrafos eu não sabia se estava lendo Jojo Moyes ou 50 Tons de Cinza), compreensivo, inteligente, bem sucedido e ZzZzZ... Como é que uma pessoa não pode ter defeitos, minha gente? O único motivo pelo qual alguém pode não simpatizar pelo cidadão é simplesmente desmentido no meio do livro. Querida Jojo, a gente sabe que Lou merecia alguém muito especial depois de tudo o que aconteceu, mas poderia ter forçado um pouquinho menos a barra, né?

   Contudo, preciso admitir que um personagem em especial me fez relembrar as boas páginas de Me Before You, porque está ainda mais cativante: Nathan. Ele continua super amigo, divertido e inteligente, apesar de aparecer pouco durante essa segunda parte da história.

   Para mim, Depois de Você não chega a ser um livro ruim. Porém, encontrei nele estratégias já batidas, uma narração gostosa mas comum e uma história bastante previsível e ilusória. Posso estar enganada, mas senti a pressão em fazer Louisa feliz, em consertar todos os seus traumas e em tentar justificar a chatisse de uma personagem que foi empurrada goela abaixo. Cheguei a pensar várias vezes durante o livro que seria melhor se Me Before You não tivesse uma continuação, pois cheguei ao final com a conclusão de que ele foi feito muito mais por dinheiro e pressão do que por vontade da autora. Repito: essa é só minha opinião! Fiquei sabendo de gente que encontrou em Depois de Você um brilho todo próprio, uma solidez bonita. Vocês sabem que sou sempre sincera, então não posso dizer que encontre isso em um livro que me pareceu um tapa-buraco.

   Eu gostei da leitura pela narrativa (ainda existe as piadas sarcásticas de Louisa e sua família e alguns trechos surpreendentes) e claro, pela curiosidade de saber como tudo se seguiu após o primeiro livro. Entretanto, não ouso comparar a primeira e a segunda parte da história. Como eu disse: para mim, não parecem ter sido escritos com o mesmo propósito ou pela mesma pessoa. Vou guardar no coração o Me Before You simplesmente preferindo esquecer da sua continuação mas sabendo da existência dela, como aquelas amizades que não existem mais apenas por falta de contato. E vocês, já leram? O que acharam? Contem pra mim aqui nos comentários, no Twitter ou no Facebook! Beijos e até o próximo post!

Classificação Final



0 comentários:

Postar um comentário

 
© Olhei no rodapé - janeiro/2016. Todos os direitos reservados.
Criado por: Maidy Lacerda
imagem-logo